sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Sublime

Seja sublime

Aos poucos vou me soltando
Vendo a verdade sem as vendas
Vejo que a vida é mais
A vida é um presente, não, é uma dádiva
Quero deixar a hipocrisia e as mentiras, as cortinas

É dela que preciso e nela que vou me deitar
Só ela me traz o ar, me traz o sol
Talvez a chuva e a angústia
Mas só ela me domina
Ela que me ensina

Quero ser mais
Quero ser menos
Depende do que for
Quero largar os rancores
Agarrar de vez meu amor, meu sonho

Vejo muitas e muitas pedras
Caminhos infinitos
Montanhas assustadores e íngrimes
Mas me instiga
Me faz desafiar tudo e todos

Não quero ser ser humano
Apenas, não
Nem mesmo quero ser um número
Não quero ser apenas um nome na lápide
Quero ser mais
Muito mais
Quero ser sublime

1 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Algumas pessoas vêm, e sempre permanecem em nossas vidas, marcam, e passam a fazer parte do nosso cotidiano, dando a impressão que vemos todos os dias.

11 de janeiro de 2008 06:12  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial